COMUNICADO OFICIAL AOS ARTISTAS E AGENTES CULTURAIS DE SANTA CATARINA

É de notório conhecimento dos artistas, produtores e agentes culturais de Santa Catarina o descaso do Governo do Estado com a implementação de políticas públicas para  área da cultura e o não cumprimento de leis e instrumentos de desenvolvimento cultural já existentes.
Frente a isto, conclamamos a todos para um ato de conscientização/mobilização sobre a importância do Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura através de nossas redes sociais.

Para participar, é simples:
  1. Grave um Vídeo Selfie explicando o movimento de luta pelo Edital Elisabete Anderle (sugestão de texto abaixo)
  2. Compartilhe em suas redes sociais, utilizando a hashtag #AnderleJá
  3. Cole este texto no conteúdo de sua postagem, divulgando a mobilização e a importância da participação de todos
  4. Divulgue para seus amigos e conscientize sobre a importância na participação.

PROPOSTA DE TEXTO/ROTEIRO
Meu nome é_____________, sou (profissão), da cidade de __________________.
Você sabia que existe um mecanismo de incentivo à cultura no Estado de Santa Catarina chamado Edital Elisabete Anderle? Este edital distribui uma verba de cerca de 7 milhões de reais para apoiar projetos culturais de todas as linguagens, em todas as regiões do Estado – isso se reverte em programação cultural e projetos de formação artística acessíveis para toda a população durante um ano inteiro. O edital deste ano, apesar de anunciado na página da Fundação Catarinense de Cultura, ainda não foi lançado e parece que não vai sair novamente.

Você pode achar 7 milhões muito dinheiro em épocas de crise, mas sabia que o mesmo governo do Estado gasta mais de 70 milhões de reais só com publicidade no mesmo período? A cultura é um setor transversal, que se articula social e economicamente com as áreas do turismo, educação e saúde, gerando renda, qualidade vida e desenvolvimento humano. Quais os critérios que escolhem as prioridades de investimento do poder público?

Governador Raimundo Colombo, Secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte Filipe Mello e Presidente da FCC Terezinha Debatin, quando vocês cumprirão essa promessa assumida publicamente? Nós não esqueceremos!


A equipe de comunicação da Federação Catarinense de Teatro irá replicar todos os vídeos em sua página: https://www.facebook.com/fecatiando.

É o momento de nos unirmos e de lutar por nossos direitos! É muito importante para o sucesso da mobilização replicarmos de todas as formas possíveis esta mobilização. Conselhos de cultura, artistas de todas as áreas, interessados no desenvolvimento humano e cultural de nosso estado, contamos com seu apoio para que nossa voz possa ser ouvida.

Mais informações e textos, acesse: www.fecate.blogspot.com.
 

Atenciosamente,
--
Federação Catarinense de Teatro (Fecate)
Gestão 2016-18

Um governo que não respeita a cultura, a arte e a educação, não respeita seu povo!


Não é de hoje que o Governo Estadual de Santa Catarina desrespeita sua população através de sua ineficiência na gestão cultural. O Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura, que deveria ser uma prática anual, há anos vem sendo tratado com desrespeito e falta de profissionalismo. Quem perde com isso? Todos nós! Todos os moradores de Santa Catarina.

É notório o envolvimento cultural com as demais áreas da sociedade: educação, turismo, assistência social e até mesmo segurança pública. Não cumprir as políticas culturais é cultivar um estado de menor pensamento, menor crítica, menor educação, menor turismo e mais violência.
É notório que a cultura é um importante vetor econômico no Brasil e em Santa Catarina. O sistema FIRJAN aponta: “Em apenas uma década, o PIB da Indústria Criativa cresceu 69,8% e o número de profissionais criativos empregados formalmente aumentou em 90%, chegando a quase 900 mil em 2013. Audiovisual, Design, Moda, Arquitetura, Mídias Digitais e TICS são alguns dos setores criativos que contribuem para a geração de mais de R$ 126 bilhões ao ano, o equivalente a 2,6% do PIB brasileiro”. A indústria cultural é uma indústria sem chaminés, com crescimento atestado em todo o território nacional.

Com a ausente gestão cultural no estado, não são os movimentos culturais e artísticos que sofrem e sim toda a população que cada vez mais perde seu direito de acesso à cultura e à arte. Um direito garantido pela constituição federal que é ignorado pela gestão do Sr. Raimundo Colombo.
A última edição do Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura foi executada em 2014, com um total de R$ 7 milhões de reais voltados ao financiamento de projetos culturais e artísticos que beneficiaram todo estado de Santa Catarina. Em 2015 não houve política de estímulo à produção e fruição artística e cultural. Já em 2016, a Fundação Catarinense de Cultura (gestora do edital) disponibilizou notícia no mês de maio informando que o edital seria lançado “em breve” com um total de R$ 6 milhões para a execução de projetos, ou seja, R$ 1 milhão a menos que a última edição. Maio, junho, julho, agosto e setembro se passaram e parece que nada aconteceu.

Além de não comunicar uma data clara para o lançamento do edital, o Governo do Estado desrespeita a principal instância pensante da cultura em Santa Catarina: O Conselho Estadual de Cultura. Tramitações lentas e a falta de resposta aos questionamentos do Conselho retratam bem o quadro de ineficiência e ineficácia da atual gestão frente à cultura.

Este é o nosso cenário: Implementação do Sistema Estadual de Cultura parada, Plano Estadual de Cultura na gaveta, falta de comunicação com a classe e gestão amadora dos recursos voltados à cultura. Que tipo de sociedade a gestão do Sr. Raimundo Colombo quer construir?

Você tem direito à cultura!
Ajude a divulgar este post. Compartilhe! Cobre!
-
Informamos que diversas tentativas de diálogo foram feitas pelo Conselho Estadual de Cultura e movimentos artísticos e culturais com o Governo do Estado, todas sem sucesso!